Vale do Rio Doce abre mão de receber indenização de trecho das obras de duplicação da BR-381

Celinho Sintrocel (deputado estadual PCdoB/MG)

Redação – O deputado Celinho Sintrocel recebeu da empresa Vale nesta terça-feira (11/11) ofício no qual comunica que “irá renunciar aos seus direitos de receber o ressarcimento dos custos a serem incorridos e da indenização pelo uso da faixa de domínio”, liberando o trecho para prosseguimento da obra de construção de um viaduto sobre a Estrada de Ferro Vitória Minas, no km 296.

O ofício foi uma resposta à correspondência encaminhada pelo Gabinete do deputado no dia 2 de maio passado, no qual Celinho informa sobre a questão pendente desde agosto do ano passado.  O deputado Celinho comemorou o resultado positivo da intermediação que garante a continuidade das obras de duplicação da BR 381 no lote 3.1 em Antônio Dias.

O mandato do deputado Celinho acompanha de perto também a questão da proposta de concessão da rodovia à iniciativa privada, tema que foi debatido em audiência pública no mês de setembro passado, em Ipatinga. Segundo o deputado, o Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já admitem a possibilidade de separar a proposta de concessão da BR 381 da rodovia 262, proposta que foi apresentada durante a audiência pública da Assembleia Legislativa, realizada pelo deputado Celinho.

Celinho esclarece que existe receio de que o projeto fracasse na concessão  das duas rodovias em conjunto e por isso já admite a realização de projetos em separado. Para o deputado o mais importante, no momento, é garantir recursos para o término das obras nos dois lotes que já estão em andamento (lotes 7 e lote 3.1). O Governo Federal relacionou um  montante de R$ 150 milhões para as obras na Ploas (Proposta de Lei Orçamentária) do próximo ano, em tramitação no Congresso Nacional. “Nossa luta é pela finalização destes dois lotes antes da aprovação do projeto de concessão, pois com estes dois lotes concluídos, com certeza, as taxas de pedágio poderão ser reduzidas, considerando que já existam mais de 60 km duplicados nos dois lotes”, argumenta o deputado Celinho.

Ele acrescenta ainda que, se o projeto da concessão fracassar, é preciso fortalecer o movimento em favor da realização dos demais lotes. “Onde já houve licitação, mas sem contratação, que se possa, por exemplo, permitir que a empresa colocada em segundo lugar nas licitações, possa realizar as obras. É uma luta que também está em nossas metas em relação à duplicação da 381”, salienta.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *