Presidentes de Câmaras do Vale do Aço querem que Estado pague os atrasados aos municípios

TIMÓTEO – Os vereadores e presidentes das Câmaras Municipais dos municípios que compõem a Região Metropolitana do Vale do Aço voltaram a se reunir, na noite de terça-feira (19), no plenário da Câmara de Timóteo, para dar sequência ao movimento que visa discutir e cobrar soluções de assuntos relevantes para a região.

Esse foi o segundo encontro e teve como pauta o atraso dos repasses do Governo Estadual para os municípios, a pavimentação da rodovia LMG-760, os problemas do aeroporto de Santana do Paraíso e a permanência da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA) na região. Os parlamentares afirmaram que trabalharão de forma conjunta para cobrar as devidas soluções.

“O objetivo dessa união das Casas Legislativas é fortalecer politicamente o Vale do Aço, buscando representatividade e melhorias para as demandas regionais”, enfatizou o presidente da Câmara de Timóteo, Diogo Siqueira.

Na próxima reunião dos presidentes de Câmaras do Vale do Aço, marcada para o dia 18 de março, na Câmara de Coronel Fabriciano, será definido o planejamento da caravana de vereadores que irá até Belo Horizonte, para cobrar mais respeito e responsabilidade com os cidadãos.

A vereadora Nacife Menezes, representando a Câmara de Belo Oriente, elogiou a iniciativa, mas fez um alerta para que os vereadores se mobilizem e cobrem uma solução para a falta de repasses constitucionais e convênios atrasados no governo anterior e que ainda estão sendo retidos na gestão do governador Zema.

A vereadora Nacife Menezes, presidente da Câmara de Belo Oriente, elogiou a iniciativa dos colegas

“Na verdade, nós (Legislativo e Executivo) ainda não sabemos do que está acontecendo. A falta informação deixa todos apreensivos. Deliberamos nesta reunião que vamos agendar uma reunião com o governador Zema, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, para ele explicar a todos nós o que realmente é devido aos municípios. Temos cidades que o ano letivo ainda nem começou justamente pela falta de repasses dos impostos. Isso não é justo”, afirmou Nacife Menezes, que apoia o trabalho conjunto dos vereadores, os primeiros a serem cobrados pelos eleitores pela inércia dos municípios.

Todos os encontros são coordenados pelo presidente da Câmara de Ipatinga, Jadson Heleno.

Nacife Menezes disse que é a favor de recriar a União dos Vereadores dos Municípios do Vale do Aço, como foi proposto na reunião, que serviu também para discutir outros assuntos. “Os municípios, principalmente os pequenos e que dependem quase exclusivamente dos repasses, estão a ponto de fechar as portas. É função do gestor público cobrar pelo que é direito dos cidadãos, e diante da falta de resposta do governo, queremos que tudo seja regularizado o mais rápido possível quanto ao confisco de dinheiro que é do povo. É nos municípios que moramos e o governo Zema precisa entender isso”, destacou. Os impostos devidos são sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Participaram da reunião em Timóteo vereadores presidentes das Câmaras de Belo Oriente, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Joanésia, Açucena, Braúna, Marliéria, Jaguaraçu, Ipaba, São João do Oriente, Vargem Alegre e Iapu.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *