Invasão ao 7 de Outubro, em Ipatinga, é repelida por vigilância armada

Com treinamento especial, profissionais de segurança já atendem o município em 24 estabelecimentos públicos

Ipatinga – A Prefeitura de Ipatinga informou nesta terça-feira (12), por meio da Sescon – Secretaria de Segurança e Convivência Cidadã, que “a pronta ação do serviço de vigilância armada que, neste governo, passou a proteger prédios públicos do município contra vandalismos e ocupações por estranhos, algo que vinha ocorrendo de forma lamentável e recorrente, impediu que o patrimônio da Escola 7 de Outubro, no bairro Veneza, fosse afetado por uma invasão isolada, na noite de domingo (10)”. A área pública agora em recuperação pelo governo municipal chegou a ser utilizada como moradia de andarilhos e ponto de uso de drogas e prostituição.

A Administração Municipal ainda esclarece que todos os profissionais que atuam no Programa de Vigilância Armada, implantado por este governo, são treinados e preparados para agir frente a situações desta natureza.

O prefeito Nardyello Rocha enfatizou que não medirá esforços para garantir a segurança dos patrimônios públicos e, também, da população de Ipatinga, sendo os investimentos nesta área uma prioridade da gestão atual. “Quando anunciamos que iríamos implantar a segurança armada nas escolas, principalmente em períodos noturnos, e em locais de vulnerabilidade social, fomos duramente criticados pela oposição. Na verdade eles não entendiam a necessidade de cuidar do patrimônio público e oferecer segurança aos nossos alunos, aos pais e a todos que trabalham nesses locais. Essa gestão não teve dúvida da assertividade de implantar a vigilância armada nas unidades escolares. E o episódio desse domingo só veio comprovar que fizemos o certo, já que mais um evento foi frustrado graças à presença desses profissionais”, reforçou o chefe do Executivo.

Nardyello acrescenta que outra preocupação por parte da administração municipal foi no momento da contratação destes profissionais. “Na hora da invasão na Escola de Educação Infantil 7 de Outubro, o vigilante cumpriu com todo o protocolo exigido e em seguida  acionou a polícia para que ela fizesse o trabalho dela. Essa atitude mostra também a preparação dos vigilantes. Essa gestão teve a preocupação em atentar para a capacitação de cada um deles. Todos precisavam apresentar o Curso de Formação de Vigilantes e também o certificado emitido pela Polícia Federal”, concluiu.

Segurança

Desde o início do mês de junho, 24 unidades escolares municipais contam com a presença de vigilantes armados. Inicialmente a Secretaria de Educação priorizou a presença dos profissionais em escolas do Ensino Fundamental e espaços que atendem alunos em Tempo Integral. Também foram avaliados educandários localizados em áreas de vulnerabilidade social.

Dos mais de 20 locais onde foi implantada a prestação de serviço, seis contam com a presença do profissional 24h, em todos os dias da semana. É o caso das escolas municipais João Reis, Ary Malta, 7 de Outubro, além do Centro Educacional Pedagógico e de Aperfeiçoamento Integral Giancarlo Vella (Cepai), no bairro Forquilha, e do Centro Esportivo 7 de Outubro.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *