Cães atacam advogada no Quitandinha em Timóteo. Os constantes ataques preocupam moradores do Vale do Aço

TIMÓTEO – Todos os dias, de cinco a dez pessoas buscam as unidades de saúde do Vale do Aço com ferimentos causados por mordidas de cães. Esta foi à média do ano de 2017, quando 1.109 ataques foram registrados pelas Secretarias Municipais de Saúde.

Só em janeiro deste ano, cerca de 40 pessoas foram mordidas pelos animais, entre elas, a advogada Alda Castro. Conforme relato da advogada, caminhava livremente em companhia de sua filha pelas Ruas do Bairro Quitandinha, na cidade de Timóteo, onde reside, quando repentinamente apareceram dois cães de grande porte, que a atacou de maneira violenta, ferindo profundamente o seu braço e ombro esquerdo.

A imagem dos ferimentos no braço da advogada Alda Castro impressiona. O médico plantonista afirmou que a advogada correu risco de morte.

“A sensação que a gente tem é de insegurança e medo, porque não se sabe a procedência dos cachorros, se eles têm alguma doença, se têm dono. É complicado. O médico que me atendeu afirmou que se tivesse sido no pescoço, pela profundidade do ferimento, poderia ter corrido risco de morte”, comenta Alda Castro, garantindo que o ataque aconteceu há uma semana e só não foi pior graças à ajuda de moradores da região.

Situações como esta têm se tornado cada vez mais comum nos municípios do Vale do Aço. No mesmo dia em que Alda Castro procurava por vacinação, duas outras pessoas também haviam sido atacadas por cães em Timóteo. Enquanto, em 2017, 1.109 ataques chegaram ao conhecimento das SMS, em 2016 foram 956. O aumento de um ano para o outro é de 16%.

Os Departamentos de Zoonoses das Prefeituras não têm um controle de quantos cães, atualmente, estão soltos nas ruas de Timóteo, Coronel Fabriciano, Ipatinga e Santana do Paraíso. No entanto, a estimativa é de que as cidades possuam uma população canina de 65 mil animais, entre cachorros de rua e doméstico. Com exceção da Prefeitura de Santana do Paraíso, os outros municípios não podem fazer o resgate de animais de rua porque não tem onde abriga-los.

VACINAÇÃO

Quem for ofendido por cães no Vale do Aço corre-se o risco de morrer antes mesmo de ser vacinado. Para encontrar uma vacina, a família precisa fazer uma  verdadeira peregrinação para descobrir onde está disponível o serviço.

Em Timóteo, por exemplo, a vacina só está disponível aos sábados. Em Fabriciano, a vacinação é feita de segunda a sexta-feira, de 8h às 16h. Nas outras cidades não conseguimos confirmação de dias e horários.

CÓDIGO PENAL

De acordo com o art. 129, parágrafo 6° do Código Penal e a Lei de Contravenção Penal no art. 31, haverá penas de detenção ou prisão conforme cada caso, culminando em ação criminal  que posteriormente será instruída no fórum e a vítima e réu serão chamados para depoimentos.

Além disso, na área cível é possível a propositura de ação de danos morais com pedido de indenização pelo sofrimento ocasionado pela omissão do dono do animal e ainda por todos às despesas oriundas do tratamento médico.

A omissão do dono do animal quanto ao socorro à vítima, agravará mais ainda a situação, como ocorreu no caso da advogada Alda Castro.

Importante salientar que, primeiramente deve se buscar o socorro médico e após isso, realizar o boletim de ocorrência policial, na delegacia de Polícia Civil.

Deve se identificar testemunhas do ocorrido e ainda registrar com fotos, filmagens, recibos das despesas médicas e outras, necessárias ao tratamento, para ser utilizadas como conjunto probatório do fato no momento oportuno das ações.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *