Vereadores de Fabriciano acionam a Polícia para garantir abastecimento de água no Morro do Carmo

FABRICIANO – A Polícia Militar foi acionada nesta quinta-feira (20) pelos vereadores Dr. Sandro Araújo e Marcos da Luz, para registrar um Boletim de Ocorrência na sede da Copasa em Coronel Fabriciano, onde um grupo de moradores do Morro do Carmo reclamava da interrupção do fornecimento de água por quase dez dias.

Segundo relato dos moradores, na Rua 19 e outros pontos do bairro, a falta do liquido precioso é constante. Eles contaram que neste período de férias onde as crianças estão todas dentro de casa, ficarem sem água é uma “sacanagem”, disse a moradora Marcilene, que exibiu um litro descartável com a água suja que o caminhão pipa fornece aos moradores.

A mesma moradora contou a nossa reportagem que o caminhão que abastece o morro, não dá conta de encher as caixas. A água é de péssima qualidade. Não dá pra beber e muito menos lavar roupas. “Estou comprando água para beber”, reclamou à moradora, que denunciou: “quanto menos água chega maior é a conta”.

Os vereadores Dr. Sandro Araújo e Marcos da Luz, ao lado da comunidade, foram unanimes em dizer que o contrato entre o município e Copasa tem que ser revisto. O que a empresa está fazendo com os moradores é mesmo um caso de Polícia. “A obrigação de fiscalizar o contrato desta empresa é da prefeitura. O prefeito Marcos Vinicius precisa tomar uma providência. De semana em semana é a mesma coisa. Nós vereadores não vamos permitir que tal fato perdure”, afirmou Marcos da Luz, que também criticou a falta de investimentos da Copasa no município de Coronel Fabriciano.

Já o vereador Dr. Sandro, além de não poupar críticas ao órgão fiscalizador, no caso, a prefeitura, afirmou que a Copasa não pode ser tratada como parceira. “Temos que endurecer o tratamento com essa empresa. Parceiro não faz com as pessoas o que a Copasa tem feito. Se a prefeitura como legitimo órgão de fiscalização do contrato não tomar providências, vamos denunciar a prefeitura por negligenciar uma situação tão séria”, argumentou Dr. Sandro, justificando a presença da Polícia Militar para registrar o caso, porque assim, os moradores permanecem resguardados caso queiram acionar a empresa na justiça, para ressarcir os prejuízos que a mesma vem causando.

A Copasa se limitou em informar que o fornecimento de água está diminuindo devido à falta de vazão em seus poços, e que na medida do possível manterá o abastecimento com caminhões pipas.

 

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *