Fabriciano faz alerta sobre falta do soro antiofídico

Cerca de 100 proprietários rurais do Cocais de Cima participaram do encontro na Escola Municipal Maria da Conceição Ataíde.

A Prefeitura de Coronel Fabriciano por meio da Secretaria Municipal de Saúde alerta para o desabastecimento do soro antiofídico no município. Nessa quinta-feira, 18, cerca de 100 proprietários rurais do Cocais de Cima participaram de um encontro realizado pelo Departamento de Meio Ambiente na Escola Municipal Maria da Conceição Ataíde. Na oportunidade eles foram informados sobre a falta do soro e orientados sobre os principais cuidados para evitar a picada de animais peçonhentos. Segundo o Departamento de Vigilância Epidemiológica do município, a falta se deve a um grave problema de produção e distribuição no estado. O principal soro em falta é o antibotrópico para tratamento de pessoas picadas por cobras do grupo das Jararacas.

Os soros antivenenos são fornecidos pelo Ministério da Saúde através dos laboratórios produtores oficiais brasileiros, devido a exigência do cumprimento das normas de Boas Práticas de Fabricação (BPF) exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A interrupção na produção dos soros é consequente à necessidade de adequações e reformas nos parques industriais e outras manutenções na produção. Somado ao fato da escassez do antidoto, o período chuvoso tem tornado a situação ainda mais preocupante, pois, estes animais saem de seus esconderijos e procuram abrigo em áreas urbanas e rurais.

A Coordenadora da Vigilância Epidemiológica Tatiana Cunha, afirma que o soro é essencial para o tratamento de pessoas picadas por serpentes, escorpiões e aranhas, mas, é fundamental o uso de equipamentos de proteção individual para evitar qualquer tipo de acidente com esses animais. “Lembrando que pra cada picada de animal existe um tipo de soro, e devido à redução acentuada, devemos adotar medidas mais eficazes para que acidentes com esses animais não aconteçam”, pontua.

Em locais propícios à presença de animais peçonhentos, por exemplo, buracos na terra, troncos ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou entre pedras deve-se utilizar equipamentos como luvas de couro e botas de cano alto ou com perneiras. É indicado que sítios e chácaras mantenham uma área limpa em volta da casa, sem mato e, quando for aos pomares, seguir as orientações dos hábitos desses animais, que gostam de ficar em cascas de árvores, escondidos entre as folhas do solo, debaixo de pedras, em locais úmidos e escuros.

Procedimentos

Na ocorrência de acidente encaminhe a vítima com urgência a unidade hospitalar mais próxima. Caso seja possível, realizar a identificação do animal responsável pelo acidente, pois facilitará o diagnóstico e tratamento. A unidade hospitalar de Coronel Fabriciano indicada para atendimento em se tratando de algum caso de picada de cobra é o Hospital Dr. Jose Maria Morais, localizado a Rua Argemiro José Ribeiro, nº 206, Bairro Santa Helena.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *