Terceira edição da Feiríssima será neste domingo em Ipatinga

Feira de produtos autorais incentiva o mercado local no Vale do Aço e tem entrada franca

IPATINGA – Acontece neste domingo (10), das 11h às 17h, em Ipatinga, a terceira edição da Feiríssima. Organizado por um coletivo de empreendedores da região, a Feiríssima oferece espaço para artistas e marcas autorais de diversos segmentos, com design, moda, artes, para expor e colocar à venda as peças produzidas. A Feiríssima será realizada no Café Quatro Estações (Rua Jacarandá, 433 – Horto) e tem entrada franca.

A edição especial do Dia dos Namorados vai reunir 22 marcas de Ipatinga, Timóteo, Coronel Fabriciano e Governador Valadares. Dentre as novidades estão cosméticos artesanais, moda infantil feminina, papelaria artesanal, calçados e gastronomia.Também estão confirmados expositores já tradicionais na feira, que vão desde brechós, lingerie, bijuterias, artigos de decoração a vestuário feminino.

A programação musical ficará por conta do grupo Curimã, que nasceu em 2008, fruto de uma vontade intensa do casal de músicos Lis Brasil e Gustavo Maia em homenagear a riqueza da música brasileira. Para a Feiríssima, o grupo preparou um repertório cheio de personalidade, ritmo e afeto, com músicas autorais e de compositores da música brazuca de melhor qualidade. A discotecagem irá ficar por conta do produtor cultural e DJ, Xyku, que promete um set cheio de groove.

DESENHANDO A FEIRA

Também está confirmada a participação da turma do Urban Sketches, que desde a primeira edição, registra o evento por meio de desenhos. Para clarear, o UrbanSketchers é uma comunidade de correspondentes que reúne pessoas do mundo todo, interessadas em produzir e compartilhar seus desenhos de locação. Essa comunidade global inclui pintores, arquitetos, jornalistas, publicitários, ilustradores, designers e educadores. A iniciativa do Usk Vale do Aço surgiu em meio a discussões sobre desenho entre alunos do curso de Arquitetura do Unileste, com a proposta de vivenciar o espaço urbano por uma nova perspectiva que é o desenho de observação.

RASTROS DO PÓS-CHUVA

Outra iniciativa cultural que a feira irá receber é a exposição Rastros do pós-chuva, do fotógrafo Eduardo Galetto. O trabalho é uma instalação de fotografias de reflexos obtidos a partir da água da chuva.  As imagens são apresentadas imersas em água sugerindo um diálogo que distorce seu formato convencional. Na série se encontram fotos do ano 2009 até o presente momento, e tem propósito é criar uma instalação sensorial, que estimule o público a contemplar a chuva por uma ótica diferenciada. Amante das chuvas e observador dos efeitos distintos que ela produz na vida das pessoas, o fotógrafo nesse trabalho propõe um olhar mais poético e romântico contemplando a chuva como dádiva mas sem abstrair o sentimento melancólico que ela pode transmitir.

Compartilhe em suas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *