Cidades Destaques 

Posse na FIEMG: prefeito assegura política de estímulos ao setor produtivo

IPATINGA – “Todos os segmentos geradores de emprego e renda serão tratados com especial distinção pelo nosso governo. A escassez de recursos que decorre da desaceleração econômica, com a consequente falta de oportunidades de trabalho, é um problema que põe em dificuldades muitas famílias, não só no município, mas em todo o país, e é nosso compromisso valorizar os empreendedores, todos os setores produtores e distribuidores de riquezas”.

As palavras são do prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, em pronunciamento na solenidade de posse do novo presidente regional da FIEMG (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), Flaviano Mirco Gaggiato, na noite desta segunda-feira. Além do presidente estadual da entidade, Flávio Roscoe, o evento, realizado no auditório do antigo CDP da Usiminas, foi prestigiado por Executivos das principais empresas-âncoras do Vale do Aço – Cenibra, Usiminas e Aperam –, assim como lideranças de sindicatos patronais ligados a diversos setores como panificação, vestuário, metal-mecânico e de construção civil. Entre vários outros convidados estava ainda o recém-eleito prefeito de Timóteo, Douglas Willkys, que mereceu saudação especial de Nardyello em sua fala. A Prefeitura de Ipatinga foi representada ainda pelos secretários municipais de Governo, Luís Henrique Alves, e de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Luiz Campelo Filho, também ex-presidente da FIEMG regional.

Flaviano Gaggiato vai cumprir um mandato de quatro anos na FIEMG. A Regional do Vale do Aço, implantada há 20 anos, engloba um total de 72 municípios, numa área de grande importância, que concentra o segundo maior PIB do Estado.

fiemg

O PREFEITO de Ipatinga, Nardyello Rocha, entre os presidentes estadual e regional da FIEMG, Flávio Roscoe (E) e Flaviano Gaggiato (D)

Importância do segmento

Em sua mensagem durante a cerimônia, o presidente estadual da FIEMG, Flávio Roscoe, elogiou a postura do Executivo ipatinguense em eleger o estímulo às empresas entre as suas prioridades de governo, citando a alta taxa de desemprego atual, no país, que bate na casa dos 14%. “O bom gestor certamente vai contrariar interesses, mas há ações que não podem ser adiadas, já que o prejuízo da coletividade tem sido grande por falta de atitudes firmes para vencer essas resistências. Perdemos 15 de pouco mais de uma centena de grandes empresas, nos últimos anos, por causa também das pesadas tributações e embaraços de toda ordem em alguns biombos do serviço público. O prefeito foi muito feliz em suas colocações. Embora ele seja muitas vezes demonizado, prejudicar o empresário é prejudicar toda a população. Nossa evolução em competitividade e sustentabilidade repercute na vida, no bem-estar de todos, já que representamos um terço de todos os tributos arrecadados”, assinalou.

O prefeito Nardyello Rocha ainda mencionou a necessidade de revisão do pacto federativo, tendo em vista a divisão desigual dos recursos arrecadados no País, com 57% concentrados na União, 25% no Estado e apenas 18% no município.

Compartilhe em suas redes sociais

Notícias Relacionadas

Leave a Comment