Cidades Destaques 

Situação calamitosa, faz Douglas Willkys decretar ponto facultativo nesta sexta-feira. Estado deve Timóteo R$ 18 milhões

TIMÓTEO – O município de Timóteo paralisa as atividades nesta sexta-feira, reforçando, mais uma vez, o movimento dos municípios mineiros em protesto à ausência de repasse de recursos pelo Governo Estadual. O decreto de Ponto Facultativo foi assinado pelo prefeito de Timóteo, Douglas Willkys nesta quinta-feira (09), mantendo-se os serviços considerados essenciais. A dívida do Estado com Timóteo já ultrapassou a cifra de R$ 18 milhões.

A manifestação de protesto dos municípios foi iniciada na semana passada, e prevê a paralisação das prefeituras às sextas-feiras enquanto os repasses não forem regularizados. “A intenção é sensibilizar o governador Fernando Pimentel sobre as dificuldades enfrentadas pelos municípios, que estão tendo que reduzir os serviços prestados à comunidade”, frisa o prefeito, salientando que a crise está afetando o equilíbrio financeiro de Timóteo.

A decisão de paralisar as atividades às sextas-feiras foi deliberada durante o Fórum Emergencial da Saúde e Educação do Leste de Minas Gerais, realizado em Governador Valadares no dia 27 de julho, em decorrência da situação calamitosa em que se encontram os municípios.

Ponto Facultativo

Será ponto facultativo nas repartições públicas municipais encarregadas da execução de serviços de natureza burocrática. Os setores de saúde funcionarão normalmente, incluindo as Unidades Básicas de Saúde e o Centro de Saúde João Otávio, que atende urgências e emergências em plantão de 24h. A coleta de lixo também será realizada normalmente. Por sua vez, as escolas terão autonomia para aderirem ou não ao movimento. Até o início da tarde, nenhuma escola assinalou a intenção de paralisar as atividades. É importante ressaltar que os alunos não serão prejudicados, pois haverá a reposição das aulas.

Compartilhe em suas redes sociais

Notícias Relacionadas

Leave a Comment